Uma das coisas que vocês tem de saber sobre minha mãe é que ela não é fluente em inglês. Fala pouco. Não passa fome, mas se for para pegar direções para um museu ou bar, ela prefere que apontem no mapa.

Desta forma, a maneira que a tranquiliza quando viajar é o planejamento. Os guias de viagem são devorados, rabiscados, marcados! Cada detalhe é lido, relido, pesquisado com afinco até a Senhora Minha Mãe se sentir segura, como se já estivesse por ali antes. E está certa ela: como a parte da comunicação em outras línguas não é o seu forte, saber o que procura, nos lugares que visita, te traz mais segurança para poder explorar.

Para começar este site, listei 9 dicas para planejar sua viagem!

1- ÉPOCA DA VIAGEM

Seu planejamento já começa com a escolha da data das viagens. Procure saber a época de chuvas da região que você quer visitar. Dependendo do lugar, evitar o verão também é uma boa dica.

Existem diversos sites que você pode verificar, por exemplo, a média de precipitação do mês de determinado lugar, pode te ajudar a fugir das chuvas nas suas férias. É claro que a chuva não impede que você se divirta e conheça lugares novos, mas você preferiria dias sem chuvas nas suas férias, não é?

2 – INVISTA NUM GUIA DE VIAGEM

Apesar dos preços escandalosos dos guias de viagem (cerca de R$90,00 por um bom), o investimento vale a pena. Além de conter mapas minuciosos, ele trás dicas, informações e lugares para se visitar.

travelguides

A aquisição do guia com antecedência é essencial para que você possa marcar, rabiscar, fazer anotações  dos lugares que não poderá deixar de ir. Outra vantagem de adquirir o guia com antecedência é que ele trás informações até de peças expostas nos museus que você irá visitar, na sua língua! Se você não domina muito a língua do país de destino, é uma grande mão na roda poder contar como aquele guia em português!

3- ESTUDE O MAPA DA CIDADE

Por ora você só tem as passagens e o guia de viagem. Aproveite e abra o mapa da cidade e descubra as melhores localizações para ficar hospedado. Veja se há mercados por perto (pra você poder abastecer a geladeira do quarto do hotel e evitar o consumo de frigobar a preços extratosféricos), veja se há transporte fácil para as atrações do seu roteiro.

Nem sempre o hotel mais barato é a melhor solução. Já imaginou ficar onde Judas perdeu as botas, num lugar de difícil acesso? O transtorno ocasionado pode deixa-lo com várias horas a menos para aproveitar a viagem já que você vai ter que se virar para se deslocar por lá.

4- LEIA RECOMENDAÇÕES NA INTERNET

Praticamente todo estabelecimento no mundo tem alguma recomendação. Boa ou ruim, os reviews são ótimos para poder saber até que prato pedir em um restaurante.

O melhor dos sites de review é o trip advisor. Nele você encontra reviews de praças (saber se vale a pena ir numa praça mais afastada por exemplo), restaurantes, comida, hotéis! Não deixe, no entanto, de se atentar para a data dos reviews. Se houver um review reclamando que os quartos do hotél são desatualizados veja se há outro mais atual elogiando a infraestrutura.

A vantagem dos reviews é de que são feitas por pessoas normais, viajantes, clientes, e o estabelecimento não interfere na qualificação.

5 – LEIA SITES DE VIAGENS, ROTEIROS EM BLOGS

Com certeza, alguém já foi no lugar que você planeja ir. Provavelmente, há relatos dessas viagens pela internet. Pesquise em sites e blogs sobre a experiência de outros viajantes!

Eu mesma descobri a melhor empanada de Buenos Aires lendo blogs pela internet. Não deixe de ver fóruns como do lonelyplanet e couchsurfing (é ótimo ter um perfil no couchsurfing pois você pode criar discussões perguntando sobre bons restaurantes, eventos, hospedagens. Não precisa, necessariamente, se alojar na casa de uma pessoa, ou receber alguém em sua casa).

Planeje seu roteiro usando como base roteiro de outras pessoas. Veja o que deu e o que não deu certo e adapte à sua necessidade. Eu gosto de ter um ou outro restaurante anotado, de resto, gosto de me surpreender e encontrar um lugar legal pra comer (que na ocasião pode ser um Mc Donalds).

6 – GOOGLE MAPS

Uma das ferramentas mais maravilhosas que o Google Maps tem é poder fazer o seu roteiro por ele. Crie mapas para cada dia da sua estadia para poder facilitar a visualização.

Você pode criar marcadores personalizados, traçar rotas, marcar monumentos, restaurantes. Pode até mesmo ver a distância de um ponto a outro, para ver se dá pra ir a pé.

O app do google maps te permite fazer o download do mapa, e poderá ser acessado mesmo sem internet. Apenas se ligue que o mapa ficará disponível offline por 30 dias. Após este período você deverá fazer o download novamente.

7 – APLICATIVOS NO CELULAR

Procure os aplicativos para seu celular da cidade que você vai visitar. Existem aplicativos com mapas do metrô, dos museus, dos passes, eventos, tradutores!

8 –  INSTAGRAM

Não! Não é para você ficar postando suas fotos lindas (e editadas no Camera+)! Instagram é uma fonte confiável para várias coisas:

– Clima: antes da viagem busque pela # da cidade onde você irá visitar. Quantas vezes vemos a previsão do tempo falando em chuva, e está um sol digno de praia? No instagram você poderá ver que tipo de roupa as pessoas estão usando (casaco ou regata? bota ou rasteirinha?)

– Comida: ai você foi pra China e não entende nada do cardápio. Busca o nome do restaurante no instagram e tcharam, foto dos pratos! Você poderá escolher sua comida de acordo com a forma que ele aparenta!

print-insta

9 – DIGITALIZE TODOS OS SEUS DOCUMENTOS

Mantenha uma cópia online de todos os seus documentos no seu e-mail! Mande este e-mail para amigos e parentes que ficaram no Brasil, para que não lhe falte opções! Vai que você não consegue acessar seu e-mail? Você poderá pedir a um amigo, filho, pai para que mande este email para autoridades, hotel…

Passaporte, documento de identidade, comprovante de endereço, CPF, título de eleitor, comprovante de quitação eleitoral, certidão de casamento.

Estes documentos citados são essenciais para, se houver necessidade, você poder tirar novo passaporte. Perdas e roubos acontecem, e nessa você pode acabar por ficar sem seu passaporte.

A embaixada emite outro, no mesmo dia, após apresentação dos documentos acima (aceitam cópias digitalizadas) e pagamento de taxa. A validade deste passaporte é inferior ao passaporte emitido pela PF no Brasil e mais caro!

Para maiores informações de como proceder caso tenha algum documento extraviado, furtado ou roubado no exterior, acesse o Portal Consular.

 

Anúncios